Domingo da Ssma.Trindade - Ano C

Santíssima Trindade

RITO DA CELEBRAÇÃO DOMINICAL DA PALAVRA
___________________________

O que segue é um Roteiro de Celebração dominical da Palavra presidida por ministro ou ministra leigo/a, mas os elementos podem ser úteis também para preparar a celebração eucarística. As leituras indicadas são do Lecionário dominical. Os comentários das leituras são para ajudar a equipe que prepara, não deve ser usada no momento da celebração. Depois do evangelho há uma pequena meditação para ajudar a quem prepara a homilia. A oração de ação de graças dentro do roteiro é uma proposta recitada. No final deste roteiro há uma versão cantada: a melodia se em encontra no CD COMEP, ‘Ação de Graças no Dia do Senhor’. As músicas indicadas para outros momentos da celebração, são do repertório do Hinário Litúrgico, gravado pelas editora Paulus.
Há ainda no final deste roteiro o rito da aspersão que sempre pode ser usado aos domingos no lugar do ato penitencial.

Atenção:
as breves introduções às leituras bíblicas não são para serem lidas durante a celebração mas apenas para ajudar quem vai preparar a celebração. A CNBB tem recomendado a não fazer comentário às leituras, certamente para focar a atenção na escuta da própria Palavra, que sendo bem proclamadas, dispensam comentários.

Baixar roteiro em word

Domingo da Santíssima Trindade- Ano C
26 de maio
“Bendito seja Deus Pai, bendito o Filho unigênito e bendito o Espírito Santo. Deus foi misericordioso para conosco!”.

CHEGADA
1. Refrão meditativo – escolher no livro de canto, ou:
Jesus de todos salvador tua luz revela o esplendor do Pai
Nós te cantamos, bendizendo o teu amor.

RITOS INICIAIS
2. Canto de abertura – Bendito sejas tu: CD, Paulus,  Liturgia, festas I, faixa 15.

3. Sinal-da-cruz
Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

4. Saudação 
A graça e a  paz do Senhor Jesus estejam com vocês.
Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

5. Acolhida, sentido da celebração e recordação da vida

O(a) animador(a), com breves palavras, acolhe as pessoas, sobretudo as visitantes,  introduz o sentido do domingo e convida a assembleia a lembrar fatos marcantes que são sinais da páscoa de Jesus na vida pessoal, na comunidade, no mundo...
Deixar que as pessoas falem ou, se isso não for possível, deixar que equipe fale, ou até mesmo quem preside pode trazer algumas lembranças.

Terminando, quem preside, introduz o anto penitencial:

6. Ato penitencial
De coração contrito e humilde, invoquemos a compaixão do Cristo, e imploremos sobre nós o seu perdão:

Senhor que vieste, não para condenar, mas para salvar,
tem piedade de nós.
Senhor tem piedade de nós.

Cristo, que acolhes quem confia em tua misericórdia,
tem piedade de nós.
Cristo, tem piedade de nós.

Senhor, que muito perdoas a quem muito ama,
tem piedade de nós.
Senhor tem piedade de nós.

Deus todo amoroso, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Amém.

Pode-se escolher outras formas de Ato penitencial, no livro de canto, ou no missal. Ou: No lugar do ato penitencial, pode-se fazer o rito da aspersão (Cf. abaixo)

7. Glória -
cf. CD, Paulus,  Liturgia, partes fixas,  faixa 9 a 14.

8. Oração inicial

Ó Deus de compaixão e misericórdia,
enviaste o teu Filho Jesus ao mundo
e derramaste sobre nós o Espírito Santo,
manifestando o maravilhoso mistério de tua vida.
Dá-nos a graça de crer e adorar
o teu mistério de comunhão
e fazer de nossa vida uma busca de unidade e paz.
Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

 

LITURGIA DA PALAVRA

9. Primeira leitura - Provérbios 8,22-31
Depois do exílio, quando a comunidade judaica, de volta à terra, esforçava-se para se organizar, os sábios fizeram esta meditação sobre a sabedoria de Deus, que nós, hoje, nesta festa da Santíssima Trindade, acolhemos como uma palavra que nos ajuda a entender o mistério de Cristo.

10. Salmo responsorial - 8   CD, Paulus,  Liturgia, festas I, faixa 17.
Neste salmo, sentindo-nos como crianças diante da grandeza de Deus, agradecemos porque ele nos faz capazes de receber suas atenções.

Ó Senhor, nosso Deus, como é grande
vosso nome por todo o universo.

Teu nome é Senhor maravilhoso,
por todo o universo conhecido;
no céu manifesta a tua glória,
com teu resplendor é revestido.

Até por crianças pequeninas
perfeito louvor te é cantado;
é força que barra o inimigo,
reduz ao silêncio o adversário.

Olhando este céu que modelaste,
a lua e as estrelas a conter;
que é, ó Senhor, o ser humano
pra tanto cuidado merecer?

A ti seja dada toda a glória,
Deus, fonte de vida e verdade,
Divino amor que rege a história,
vem, fica pra sempre ao nosso lado.                                       

11. Segunda leitura  - Romanos 5,1-5
Acolhamos o que Paulo, na Carta aos Romanos, meditando sobre a obra de Cristo em nós, ensina-nos sobre o Espírito Santo.

12. Aclamação ao evangelho - CD, Paulus,  Liturgia, festas I, faixa 18.

Aleluia, aleluia, aleluia (bis)
Ao Pai   seja a glória e ao Filho
Ao Espírito Santo também
Deus que era e Deus que vem
Deus-conosco, amém, amém...

13. Proclamação do evangelho - João 16,12-15
A comunidade que escreveu o evangelho de João, em um momento de perseguição, relembra a última ceia. Ouvindo como Jesus consola os discípulos, entristecidos pela sua despedida próxima, acolhemos o que o Senhor realiza em nós por meio desta palavra.

O(a) leitor(a) se dirige à assembleia com esta saudação:

O Senhor esteja com vocês.
Ele está no meio de nós.


Fazendo o sinal-da-cruz na fronte, na boca e no peito:
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo...
Glória a vós, Senhor.

Proclama o evangelho e no final da leitura conclui:
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Beija o livro e o mostra para a assembleia, que se inclina, num gesto de adesão à Palavra.

- Evangelho: João 3,16-18
Escutemos o diálogo, ocorrido durante a noite, entre Jesus e Nicodemos, pessoa importante da comunidade judaica de Jerusalém.

14. Dicas para a Homilia
Supondo que quem vai coordenar a celebração já meditou os textos e se preparou com a equipe de celebração para a homilia, o que segue é apenas uma dica para ajudar nesta preparação:

Jesus vai partir. Os discípulos estão tristes por isso, e também porque se sentem diante de um destino de perseguições semelhante ao dele... Jesus fala com os discípulos sobre o significado da sua partida, mas eles, no momento, não podem compreender tudo. Por isso, Jesus promete o Espírito que vai trazer a luz para compreender o caminho indicado por ele e a força para corresponder aos seus ensinamentos e proposta de vida e missão.
O Espírito vai acendendo a sua luz, à medida que a comunidade vai fazendo a sua experiência e, à medida das suas necessidades. Há coisas que só compreendemos a partir de uma experiência concreta, de um acontecimento, de um sofrimento... quando sentimos o limite das nossas possibilidades humanas e nos confiamos na presença e ação do Espírito de Deus em nós.
Neste domingo, dia em que contemplamos o mistério da comunhão de Deus-Trindade, a palavra de ordem que escutamos e acolhemos é caminhar e confiar na promessa de Jesus. O Espírito é a permanente memória de Jesus, que desperta no coração, nas diferentes circunstâncias da vida, a lembrança do ensinamento de Jesus . É ele que não nos deixa desanimar na hora da prova e da perseguição e nos recorda o segredo para vencer.

15. Coleta de bens
É o momento também de trazer donativos para as necessidades da comunidade, enquanto a assembleia canta.
Terminada a coleta, todos/as se levantam, os ministros trazem o pão consagrado para o altar. Quem preside, aproxima-se, faz uma breve inclinação e dá início à ação de graças.
(Se não houver comunhão, depois das preces, quem preside se aproxima do altar e dá início à ação de graças).

AÇÃO DE GRAÇAS

16. ação de graças
C: O Senhor esteja com vocês.
T: Ele está no meio de nós!
C: Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
T: É nosso dever e nossa salvação! 

Ó Deus, Pai de bondade,
graças te damos por Jesus, teu filho,
que escolheste e consagraste
com a força do Espírito Santo.
Ressuscitado, ele deu a todos nós este mesmo Espírito,
que vem em auxílio da nossa fraqueza
para interceder por nós junto de ti.

Nós te damos muitas graças,

te rogamos, ó Senhor.

Na força do mesmo Espírito,
adoramos e proclamamos tua comunhão de amor,
Pai, Filho e Espírito Santo, e te bendizemos.

Nós te damos muitas graças,

te rogamos, ó Senhor.

Na esperança de  vermos reinar em nossa humanidade
a comunhão da santa Trindade
unimos a nossa prece à prece de Jesus,
rezando como ele nos ensinou:

T:
Pai nosso..., pois vosso é o reino,
o poder e a glória para sempre.

17.  Rito da comunhão
Quem preside diz:

Relembrando de Jesus que, muitas vezes, reuniu-se com os seus para comer e beber, revelando que o teu reino havia chegado, nós também nos alegramos com ele nesta mesa.

E tomando nas mãos o pão consagrado, acrescenta:

Assim disse Jesus: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim nunca mais terá fome e o que crê em mim nunca mais terá sede”.

Mostrando o pão consagrado:

Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo!
Senhor, eu não sou digno(a)...

Canto de comunhão


Bendito seja Deus, CD, Paulus,  cantos de abertura e comunhão,  faixa 17 ou no Á Santíssima Trindade, CD, Paulus,  Liturgia, festas I, faixa 20.

18. Oração final
Ó Deus, fonte de amor,
pelo batismo nos fizeste teus filhos e filhas
e nos mandaste anunciar a tua Palavra a todos os povos.
Que o teu nome seja conhecido
como Deus de amor e de compaixão
e que seja este o nosso anúncio.
Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

19. Bênção
O Deus da vida
que se fez comunhão na Trindade
nos renove na alegria do seu amor
e nos abençoe,
ele que é Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.


Canto de ação de graças

( CD comep ação de graças no Dia do Senhor - faixa 18)

C: O Senhor esteja com vocês.
T: Ele está no meio de nós!
C: Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
T: É nosso dever e nossa salvação! 

1. Para nós é um prazer
bendizer-te, ó Senhor,
celebrar o teu amor
por Jesus teu bem-querer!

2. Te louvamos, ó Senhor,
pelo céu e pelos mares,
Pela terra e pelos ares,
criação do eterno amor!

3. Te louvamos, ó Senhor,
pela nossa humana história,
que revela tua glória,
teu poder libertador. (bis)

4. Te louvamos, ó Senhor,
por Jesus teu Filho amado
Entre nós ressuscitado
do Reino servidor.

5. Teu Espírito congregue
tudo quanto está disperso;
tua Igreja em vida e verso
o teu reino manifeste!

6. Finalmente a nossa boca,
inspirada por teu Filho,
e seguindo o seu ensino,
o teu santo nome invoca:

T: Pai nosso...
pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.