Celebração do Tríduo Pascal - A Ceia do Senhor

Quinta-feira Santa

Celebração da Ceia do Senhor
Quinta-feira Santa

Chegada
1. Refrão Meditativo: escolher do livro de
canto, ou:
Onde reina o amor, fraterno amor,
onde reina o amor, Deus aí está

Ritos Iniciais
2. Canto de abertura –procissão com a cruz e o lecionário. 
Canto: Quanto a nós, n.121

3. Sinal da cruz
Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém

4. Saudação inicial
A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai,
e a comunhão do Espírito, estejam com vocês.
Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

5. Acolhida e sentido da celebração
Com esta celebração em memória da última Ceia de Jesus, iniciamos a grande festa anual da páscoa, a memória da morte, sepultura e ressurreição do Senhor. Lembramos a travessia do povo de Israel quando Deus tirou nossos pais e mães da terra do Egito, e recordamos de modo especial a travessia de Jesus, quando ele passou da morte à ressurreição.

6. Acendimento das luzes da festa
A comunidade faz a memória dos vários grupos com os quais quer estar em comunhão na celebração do Tríduo. Ao lembrar cada grupo, alguém acende uma vela e coloca no candelabro. (Pode ser um candelabro de 7 braços).

Vamos recordar pessoas com quem queremos estar em comunhão nesta páscoa.

- Bendito sejas, Deus da vida, pela luz que tu acendes em todos os que lutam pela paz e pela justiça.

- Bendito sejas, Deus da vida, pela luz que tu fazes resplandecer em todas as Igrejas que proclamam que Jesus é o Senhor e dão testemunho do evangelho.

- Bendito sejas, Deus da vida, pelo clarão que arde em todas as religiões e em todos os que buscam o teu rosto.

- Bendito sejas, Deus da vida, pela luz que brilha na luta e esperança de todos os pobres da terra.

- Bendito sejas, Deus da vida, pela luz que tu fizeste brilhar entre nós nesta campanha da fraternidade.

- Bendito sejas, Deus da vida, pela luz que tu fazes resplandecer em todos os amigos e amigas da nossa comunidade.

- Bendito sejas, Deus da vida, por todos os grupos e entidades que trabalham pela sustentabilidade da terra.

Outras lembranças...

7. Glória
Nesta noite, iniciando a festa da páscoa, elevemos ao Pai o nosso hino de louvar ao Senhor que nos faz passar da morte à vida.

8. Oração inicial
Ó Deus de terna compaixão,
estamos reunidos para lembrar a santa ceia
que Jesus nos deixou como sinal do seu amor.
Dá-nos, pelo mistério de sua entrega por nós,
Vivermos em fraterna doação e solidariedade no serviço do teu reino.
Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

9. Primeira leitura: Êxodo 12,1-8.11-14

10. Salmo de resposta 116 (115)  H 2, p. 47

O cálice por nós abençoado 
é a nossa comunhão com o sangue do Senhor.

1. Como é que vou retribuir ao Senhor
tudo de bom que ele por mim realizou?
Vou levantar a taça da libertação,
invocarei seu santo nome em oração!

2. Eu vou cumprir minhas promessas ao Senhor
e na presença de seu povo, meu louvor!
Irreparável é a morte de seus santos.
É uma perda, a seus olhos valem tanto!

3. De tua serva filho sou, teu servidor,
tu me quebraste as algemas, ó Senhor
Eu te ofereço um sacrifício de louvor
ao invocar teu nome santo, ó Senhor!

11. Segunda leitura: 1Coríntios 11,23-26

12. Aclamação ao evangelho -
Eu vos dou o novo mandamento,
que vos ameis, uns aos outros,
assim como eu vos amei, diz o Senhor.

13. Evangelho: João 13,1-15
O Senhor esteja com vocês.
Ele está no meio de nós.
Fazendo o sinal-da-cruz na fronte, na boca e no peito, anuncia:
Anúncio da boa-nova de Jesus Cristo segundo...
Glória a vós, Senhor.

Proclama o evangelho e no final da leitura conclui dizendo:

Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Beija o livro e o mostra para a assembléia, que se inclina, num gesto de adesão à Palavra.

14. Homilia

15. Rito do lava-pés 
Depois da partilha da palavra, o(a) coordenador(a) cinge-se com uma toalha e, tomando água e bacia, lava os pés de um grupo da comunidade, para lembrar o que fez Jesus na última ceia, num ato de amor e serviço. Outras bacias distribuídas no meio da assembléia permitirá que cada um, cada uma, lave o pé do outro/a.

Canto : Jesus erguendo-se da ceia

16. Preces:
Adoremos o nosso Salvador, que durante a última Ceia com os seus discípulos, na noite em que foi entregue, deixou à Igreja o memorial perene de sua Paixão e ressurreição.

Ó Senhor, escuta a nossa prece.

- Ó Cristo, sacerdote do Altíssimo, te ofereceste uma vez por todas em sacrifício, ajuda-nos a fazer de toda a nossa vida uma oferta de amor a ti e ao teu reino.

Ó Senhor, escuta a nossa prece.

- Ó Cristo, nosso Salvador, aceitaste beber o cálice da paixão: ajuda-nos a ser solidários com os sofrimentos da humanidade.

Ó Senhor, escuta a nossa prece.

- Ó Cristo, redentor do mundo, nos deste o mandamento de celebrar a eucaristia em tua memória, faze que todas as comunidades cristãs possam celebrá-la, a cada domingo.

Ó Senhor, escuta a nossa prece.
- Ó Cristo, servo do Senhor, amaste os teus discípulos até o fim: firma no serviço da comunhão todas as pessoas que exercem ministérios nas comunidades, especialmente as que têm o encargo de coordenação.

17. Partilha dos bens
É o momento de trazer donativos ou o dízimo para as necessidades da comunidade, enquanto a assembleia canta: Onde reina o amor, fraterno amor...
Terminada a coleta, todos/as se levantam, os/as ministros/as trazem o pão consagrado para o altar. Quem preside, aproximando-se do altar, faz uma breve inclinação e dá início à ação de graças.
Se não houver comunhão,  depois das preces, quem preside vai para o altar e dá início à ação de graças.

AÇÃO DE GRAÇAS
18. Convite à ação de graças
Quem preside faz o convite:
O Senhor esteja com vocês.
Ele está no meio de nós.
Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
É nosso dever e nossa salvação.

19. Canto de ação de graças – melodia: bendigamos ao Senhor, que nos une...

Quem preside canta intercalando com a resposta da assembléia:

Para nós é um prazer / bendizer-te, ó Senhor,
celebrar o teu amor / por Jesus teu bem querer.
Ó Pai nosso!
Te louvamos, ó Senhor, / pela nossa humana história
que revela tua glória / teu poder libertador.
Ó Pai nosso!
Pois naquela noite santa / Cristo às portas da paixão
pão e vinho em refeição / nova, eterna aliança.
Ó Pai nosso!
Ó Senhor, te damos graças / ao comer deste alimento
do seu corpo sacramento / para a vida que não passa.
Ó Pai nosso!
Teu Espírito congregue / tudo quanto está disperso;
tua Igreja em vida e verso / o teu reino manifeste.
Ó Pai nosso!
Finalmente a nossa boca, / inspirada por teu Filho,
e seguindo seu ensino, / o teu santo nome invoca.
Ó Pai nosso!

RITO DE COMUNHÃO
20. Pai nosso
Oremos juntos a oração que o Senhor nos ensinou:
Pai nosso..., pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.

21. Abraço da paz

22. Convite
Assim disse Jesus: “Eu sou o pão da vida.
Quem vem a mim nunca mais terá fome
e o que crê em mim nunca mais terá sede”.
Eis o cordeiro de Deus, Aquele que tira o pecado do mundo!
Senhor, eu não sou digno(a)....

Canto de comunhão - canto : Hoje é festa diz o povo... ou Eu quis comer

23. Oração pós-comunhão
Ó Deus, promessa de paz,
hoje nos renovaste pela ceia do teu filho Jesus.
Faze que a força deste alimento
nos acompanhe em toda a nossa vida
e dá-nos a graça de participar na ceia do seu reino.
Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Transladação do Santíssimo

24. Procissão para a capela da reposição do Ssmo
Terminada a oração pós-comunhão, toma-se a reserva eucarística, ladeada de velas acesas, até o lugar da reposição do Santíssimo. A reserva deve ser colocado no cibório ou sacrário fechados (não é permitido  exposição do santíssimo no ostensório).
A comunidade segue a procissão cantando: Vamos todos louvar juntos...  Depois permanece em oração de vigilância com Jesus no horto. Há uma boa proposta no Oficio Divino das Comunidades, p. 550.
Retiram-se as toalhas do altar, e, se não foi feito no 5º domingo, retira-se ou cobre-se as cruzes (até à celebração da paixão) e as imagens até a vigília pascal.

Ofícios durante o Tríduo pascal - tem uma proposta de roteiro de adoração para este momento! CLIQUE AQUI!

_____________________________________

 Anexo

Bênção da refeição fraterna

Onde não há comunhão, pode-se fazer a partilha dos alimentos. Em vez do pão consagrado, coloca-se sobre a mesa algum alimento. Quem preside canta, e a assembleia repete a parte em negrito. Esta bênção pode ser cantada também com a melodia de “Bendigamos ao Senhor que nos une em caridade”, acrescentando depois de cada verso o refrão: Ó Pai nosso...

1. Para nós é um prazer / bendizer-te, ó Senhor,
celebrar o teu amor / por Jesus teu bem-querer!

2. Te louvamos, ó Senhor, / pela nossa humana história,
que revela tua glória, / teu poder libertador. (bis)

4. Dando graças relembramos, / de Jesus em tantas ceias
E com ele em nossa mesa, / nós também nos alegramos. (bis)

Apresentando a comida:
6. Ó Senhor, te bendizemos / por comida tão gostosa,
que com mãos bem generosas / entre nós partilharemos!

Apresentando a bebida:
7. Ó Senhor, te bendizemos / por beber de tal delícia,
que entre nós com alegria / como irmãos dividiremos!

8. Finalmente a nossa boca, / inspirada por teu Filho,
e seguindo o seu ensino, / o teu santo nome invoca: (bis)

Pai nosso..., pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre

Partilha dos alimentos