Edições Anteriores
  • Edição 263

  • Edição 262

  • Edição 261

  • Edição 260

  • Edição 259

  • Edição 258

  • Edição 257

  • Edição 256

  • Edição 255

  • Edição 254

  • Edição 253

  • Edição 252

16º DOMINGO DO TEMPO COMUM

23 de julho de 2017

Oferecemos abaixo um subsídio elaborado para auxiliar quem prepara as celebrações litúrgicas dominicais. Além do aprofundamento dos textos bíblicos,indicamos também a sua relação com a vida e o mistério celebrado.


1. Aprofundando os textos bíblicos: Sabedoria 12,13.16-19; Salmo 86(85); Romanos 8,26-27; Mateus 13,24-43

No evangelho, Jesus continua descrevendo o Reino de Deus por meio de três parábolas: O trigo e o joio, o grão de mostarda e o fermento. Trigo e joio crescem juntos até a colheita, pois a diferença é percebida somente na formação das espigas. Assim, Jesus mostra o agir de Deus, paciente e misericordioso, que realiza seu reinado na história humana. Os servos do proprietário querem remover o joio, mas toda forma de violência é fruto do joio semeado no coração. Jesus como Filho do Homem veio ao mundo semear a boa semente, ensinando a conviver fraternalmente como irmãos. Os filhos do Reino, comprometidos com a justiça de Deus, vivem em meio à presença do mal e da violência. Quem mantém os ouvidos atentos, na escuta da mensagem de paz e amor solidário de Jesus, colabora para transformar toda forma de injustiça. O caminho do discipulado faz viver na esperança de participar da glória dos ressuscitados no Reino do Pai. A parábola da pequena semente de mostarda sublinha o enorme crescimento do reinado de Deus, que se difunde como presença salvadora e acolhedora. O Reino de Deus, que se aproximou em Jesus (4,17), é força transformadora, ressaltada também na parábola do fermento que uma mulher mistura na farinha até que tudo fique fermentado. Na leitura da sabedoria, Deus revela sua misericórdia a todos e oferece a oportunidade de conversão, para que o ser humano corresponda plenamente ao seu projeto de amor. O salmo é uma oração confiante ao Deus bondoso, sempre disposto a perdoar, pois é compassivo e misericordioso, paciente fiel (Ex 34,6). Na leitura aos Romanos, o Espírito vem em socorro de nossa fraqueza, ensinando-nos a clamar confiantes a Deus como Pai, Abba, da mesma forma que Jesus (8,15; Gl 4,6; Mc 14,36).


2. A palavra na vida

Como servidores do Reino, somos conduzidos pelo  Espírito, a ser fermento na massa, a ser paciente com o joio que cresce junto com o trigo, a ter confiança na pontencialidade da pequena semente que aos poucos se transforma em grande árvore.


3. A palavra na celebração

Demos graças a Deus nesta eucaristia como discípulos e discípulas, na escuta da Palavra, na partilha da mesa, na alegria do reino.