Edições Anteriores
  • Edição 262

  • Edição 261

  • Edição 260

  • Edição 259

  • Edição 258

  • Edição 257

  • Edição 256

  • Edição 255

  • Edição 254

  • Edição 253

  • Edição 252

  • Edição 251

3° DOMINGO DA PÁSCOA - ANO A

30 de abril de 2017

Oferecemos abaixo um subsídio elaborado para auxiliar quem prepara as celebrações litúrgicas dominicais. Além do aprofundamento dos textos bíblicos,indicamos também a sua relação com a vida e o mistério celebrado.


1. Aprofundando os textos bíblicos: Atos 2,14.22-33; Salmo 16(15); 1Pedro 1,17-21; Lucas 24,13-35


A narrativa dos discípulos de Emaús é lida também na missa da tarde do domingo da Páscoa. Naquele mesmo dia, dois discípulos a caminho para Emaús revelam suas expectativas e decepções a respeito de tudo o que tinha acontecido com Jesus. O Ressuscitado se pôs a caminhar com os discípulos e os conduziu ao entendimento do mistério de Jesus. Os discípulos relembram o ministério público de Jesus de Nazaré, como profeta poderoso em obras e palavras (Dt 34,10-12; Lc 7,16; 13,33-34); enviado de Deus (Is 11,2; Lc 4,18-19); libertador da opressão (1,68; 2,38). Mas ainda não compreendem profundamente as profecias a respeito do sofrimento, morte e ressurreição de Jesus. No caminho, Jesus abre as Escrituras (24,32) e os faz compreender ser ele o Cristo que sofre para entrar em sua glória (24,26; cf. Is 52,13–53,12). A mesa, os gestos, o repartir o pão identifica Jesus como o Messias Servo anunciado pelosprofetas, que continua presente na vida e missão dos discípulos. Com os olhos abertos pela partilha do pão e pelo conhecimento das Escrituras, os discípulos anunciam a presença viva e transformadora do Senhor. Na mesma hora, levantaram-se e voltaram para Jerusalém... e contaram o que tinha acontecido pelo caminho, e como o haviam reconhecido ao partir o pão. A leitura dos Atos mostra que Jesus, com a ressurreição, foi exaltado junto ao Pai e como Senhor ressuscitado ofereceu o Espírito Santo prometido (Jl 3,1-2). A esperança do salmista: Não abandonarás minha vida no sepulcro, nem deixarás que teu fiel experimente a corrupção, encontra em Cristo sua realização plena (At 2,31). A leitura de Pedro sublinha que a oferta que Cristo faz de si mesmo, confirmada pela ressurreição realizada pelo Pai (1Pd 1,3), é o fundamento da nossa fé e esperança no caminho da vida nova.


2. A palavra na vida

A revelação de Jesus aos discípulos de Emaús, quando estavam à mesa e partiam o pão, já havia sido iniciada no caminho, quando eles acolhem o peregrino desconhecido. O papa Francisco tem insistido neste lugar de encontro com Jesus: o peregrino, o pobre, o refugiado.


3. A palavra na celebração

Que a nossa reunião em torno da Palavra de Deus e da Eucaristia abra nosso coração para a solidariedade com os necessitados.